Loading...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Fibria instala estação de monitoramento do ar na Escola Municipal Parque São Carlos

A empresa FIBRIA, através do seu departamento responsável pelo meio ambiente, instalou em 30 de Novembro de 2010, no pátio da Escola Municipal Parque São Carlos, a primeira estação de monitoramento do ar da região.

e
Maria Tereza, responsavel pelo Departamento de Meio Ambiente da Empresa,  acompanhando de perto a instalação da cabine

O monitoramento da qualidade do ar com estações automáticas é realizada pela primeira vez no Município de Três Lagoas. A estação é uma cabines (container) climatizada onde são instalados analisadores de gases, sensores meteorológicos e sistemas de aquisição e transmissão dos dados.

 Os poluentes a serem monitorados são do tipo: óxidos de nitrogênio, ozônio, monóxido de carbono, dióxido de enxofre, partículas respiráveis e partículas inaláveis, além de parâmetros meteorológicos. Os dados  serão transmitidos em tempo real a central de aquisição de dados do da FIBRIA.

Os dados serão analisados diariamente pelos técnicos da da FIBRIA, considerando os padrões de qualidade do ar fixados pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). 


Os dados técnicos serão trabalhados de forma que possam ser facilmente entendidos pela população e classificados como qualidade ótima, boa, regular, inadequada (atenção), má (alerta), péssima (emergência) e crítica. 
Os funcionários da FIBRIA, fizeram o acompanhamento e os técnicos já deixaram em perfeito estado de funcionamento


Segundo Maria Tereza Borges, responsável pela equipe de consultoria de Meio Ambiente da Empresa, "A Estação Automática de Monitoramento Contínuo da Qualidade do Ar é equipada com as mais novas
tecnologias em analisadores, requerendo baixa manutenção, proporcionando fácil operação e uma interface comum em todos os equipamentos.

A Estação Automática de Monitoramento Contínuo da Qualidade do Ar é composta por um container
metálico, isolado termicamente por material apropriado colocado entre as paredes duplas, piso e teto
reforçados, com tratamento contra corrosão e pintura epóxi. No interior deste container são instalados os sistemas elétricos, de fluidos que permitem a entrada das amostras de gases captadas e de comunicação que permitem que os equipamentos enviem dados para a Central remota, além dos  armários, móveis e prateleiras necessários à operação rotineira.
O container ainda abriga os cilindros de gases padrões utilizados para a verificação automática da calibração dos equipamentos. No teto do container são  instalados os medidores meteorológicos e as cabeças de amostragem de gases e de particulados. Um mastro meteorológico, que é fixado internamente no piso do container e atravessa o teto serve de suporte
aos sensores meteorológicos. Uma estante, tipo rack, é fixada ao piso do container internamente e os equipamentos são instalados nesta estante. Todas as conexões elétricas, eletrônicas e mecânicas são integradas ao container.
O sistema funciona totalmente integrado e automatizado, os monitores medem a concentração dos
poluentes no ar, os sensores medem os parâmetros meteorológicos continuamente e o sistema de aquisição de dados, na Estação, recebe os resultados em tempo real. Estes resultados são armazenados na Estação
e periodicamente são recolhidos pelo computador da Central de Gerenciamento.
A estação de qualidade do ar da FIBRIA possui os seguintes parâmetros monitorados:

Partículas em suspensão (PTS)
Partículas em suspensão (PM10)
Monóxido de carbono (CO)
Dióxido de enxofre (SO2)
Enxofre total reduzido (TRS)
Óxidos de nitrogênio (NO – NO2 – NOX)
Ozônio (O3) “



Maria Tereza Borges
Consultor de Meio Ambiente
Meio Ambiente Industrial
cid:image001.jpg@01CB1A05.2D110580

Nenhum comentário:

Postar um comentário