Loading...

sábado, 17 de março de 2012

Projeto de Lei estabelece punições para estudantes que violarem regras éticas e de comportamento

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 267/11, da deputada Cida Borghetti (PP-PR), que estabelece punições para estudantes que desrespeitarem professores ou violarem regras éticas e de comportamento de instituições de ensino.Em caso de descumprimento, o estudante infrator ficará sujeito a suspensão e, na hipótese de reincidência grave, encaminhamento à autoridade judiciária competente.A proposta muda o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90) para incluir o respeito aos códigos de ética e de conduta como responsabilidade e dever da criança e do adolescente na condição de estudante. Indisciplina De acordo com a autora, a indisciplina em sala de aula tornou-se algo rotineiro nas escolas brasileiras e o número de casos de violência contra professores aumenta assustadoramente. Ela diz que, além dos episódios de violência física contra os educadores, há casos de agressões verbais que, em muitos casos, acabam sem punição. O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Educação e Cultura; de Constituição e Justiça e de Cidadania. Fonte:primasfalando.blogspot.com/2011/04/camara-analisa-projeto-de-lei-que-pune.html




CNTE comemora sucesso da greve nacional


A greve nacional da Educação foi um sucesso. Durante três dias, professores e demais trabalhadores da área pararam suas atividades, para cobrar o cumprimento da Lei Nacional do Piso do Magistério e dos compromissos assumidos pelos governadores e prefeitos com a categoria. O movimento envolveu as redes estaduais e municipais de ensino. Em alguns estados, como Pernambuco, mais de 85% das escolas pararam. Em muitos municípios Brasil afora a adesão foi quase total, caso de Curitiba, onde 95% dos educadores saíram às ruas para protestar.

“Foram três dias muito bons. Mostramos para os governadores e prefeitos que nós não aceitamos que eles simplesmente digam que não têm dinheiro para cumprir a Lei do Piso. Consideramos que eles precisam se esforçar para encontrar condições de saldar essa dívida. Precisam fazer melhor as contas dos seus estados e municípios, provar que gastam com a educação aquilo que é disposto na Constituição”, avalia o presidente da CNTE, Roberto Franklin de Leão.

O dirigente da CNTE lembra que cumprir a Lei Nacional do Piso não significa apenas o pagamento da remuneração de acordo com o valor definido pelo Ministério da Educação (MEC). “É preciso que se tenha claro que a Lei do Piso não fala só do salário. Fala de jornada, de carreira. Esses são pontos importantíssimos que são descumpridos. Isso tudo precisa ser cumprido”.

De acordo com o presidente da CNTE, a próxima batalha dos trabalhadores da Educação é fazer uma campanha contra a votação, no Congresso, do projeto de lei que altera os critérios de reajuste do piso, colocando apenas o INPC como fator de correção. “Nós não aceitaremos isso. Aceitamos discutir sobre a questão, mas não vamos discutir nada que não seja valorização. Aliás, o próprio ministro Aluizio Mercadante já se manifestou a respeito e na sua fala ao Congresso Nacional ele disse que não dá para ser simplesmente o INPC o fator de reajuste do piso”, afirma.

Veja como foi a mobilização nacional pelo piso nos estados:

ALAGOAS - Trabalhadores em educação fazem ato em frente à Secretaria de Educação

AMAZONAS - Professores fazem protesto na Assembleia Legislativa

DISTRITO FEDERAL - Ato público reúne milhares em Águas Claras

GOIÁS - Educadores estaduais em greve param BR-153

MARANHÃO - Sindicato apresenta os avanços na revisão do Estatuto do Educador

MINAS GERAIS - Greve nacional em Minas tem adesão de 35% das escolas e, em Belo Horizonte, a adesão é de 56%

MATO GROSSO - Cresce mobilização das escolas públicas no interior de Mato Grosso

MATO GROSSO DO SUL - Carta entregue para Assomasul reivindica o cumprimento da Lei do Piso


PRÁ - 70% dos trabalhadores em Educação do Pará participam da greve nacional



PERNAMBUCO - Professor em greve fazem manifestação em Recife e na Região Metropolitana


PIAUÍ - Trabalhadores mantém greve e farão protesto na segunda (19)

Trabalhadores protestam na Secretaria de Educação nesta segunda (19)

PARANÁ - Mais de sete mil foram às ruas em Curitiba, na paralisação em defesa da educação pública

RONDÔNIA - Trabalhadores em educação decidem na maioria das Regionais suspender a greve a partir de segunda-feira

RORAIMA - Mais de 80% das escolas aderem à greve nacional da Educação

RIO GRANDE DO SUL - Dia tem manifestação na SEC e ato público unificado em frente ao Palácio Piratini

SANTA CATARINA - Assembleia Estadual dos Trabalhadores em Educação rejeita proposta do Governo

SÃO PAULO - Profissionais de educação decidem manter luta por reivindicações e marcam próxima manifestação para 28 de março





sexta-feira, 16 de março de 2012

Onibus quebra e professores aguardam socorro no Posto Locatelli

Foto: Juvenal Moreira
 As perna do Pardal, Elaine, Adriana Lofego, Breno César Vitório, Arlinda e de costa camisa verde, Leuslânia

Um dos ônibus que deslocou-se com Trabalhadores em Educação de Três Lagoas e Selvíria, sofreu avaria e ficou na oficina na capital do estado, não sendo possível o retorno. O trabalhadores em Educação sob liderança da Professora Elaine de Costa, vice presidente da FETEMS, aguardou após o jantar no Posto Locatelli, às margens da rodovia 262, por mais de 2 horas, aproximadamente aguardando socorro, até decidiu por locar um outro meio de transporte, também confortável para seguir viagem de volta. Elaine de Sá Costa, nunca deixou a peteca cair, mandou que dois dos três ônibus retornasse após o jantar e ficou com a delegação e muitos colegas de trabalhos e de sindicatos solidários, como a Adrianinha Lofego e Magali, do Município de Selvíria. Parabéns a todos pela luta e paciência.

Todos em defesa do piso salarial nacional que é lei e é justo

o diretor da Escola Municipal Parque São Carlos, professor Juvenal Moreira e a Professora Cristina Modesto, juntos na luta para implantação do piso salarial e 1/3 de aula atividade para todos os Trabalhadores em Educação do brasil, em manifestação popular do dia 14 de março de 2012. As revindicações aconteceram nas ruas da capital do Estado; Campo Grande/ms, onde mais de 15 mil pessoas participaram segundo levantamento da Polícia Militar.
Os treslagoesnes foram encarregados de levantar a bandeira da FETEMS - Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul

Valdênia Almeida e Eudália Pereira com a bandeira do municipio de Três Lagoas/MS

Finalizamos com essa criança maravilhosa, filha da Professora Andrea e Junior César, que com sua motocicleta acompanhou os mais de 3 mil metros de caminhada em defesa do piso salarial nacional. Vale ressaltar que Ela está muito bem orientada a ir á luta e as conquistas, afinal nada cai do Céu! Ao lado o grande amigo irmão Pardal - Maxssandro.

Solange entrega diário aos professores

Com muita responsabilidade a servidora da secretaria, Solange, entrega os respectivos diários encapados e em pasta de plástico para que todos os professores da   Escola     Municipal  parque São Carlos, possam mantê-los em  bom estado  de conservação, pois os mesmo serão amigos de trabalho de todos profissionais até o final do ano 2012. Parabéns Solange, pela dedicação e a responsabilidade!!!!

Direção do Sinted acompanha votação de reajuste do Piso Nacional

Foto: Juvenal Moreira
A diretoria do Sinted - Sindicato do Trabalhadore em Educação de Três Lagoas, e Selviria, mas uma vez comparece no lenario do Legislativo Municipal, na terça feira 13, para acompanhar a votação de projetos de interesse da categoria. (22.22% de aumento). Além do Professor Juvenal Moreira (diretor da Escola Municipal Parque São Carlos), estiveram: Celia Barbosa (diretora do CEI Diojenes de Lima), Adriana Medeiros (Diretora da Escola General Nelson Custódio de Oliveira), Shirley Para e Elaine de Sá Costa, vice Presidente da FETEMS, Petronio (diretor do deptº de imprensa do Sinted) e Arlinda de Fatima (tesoureira).
A presidente do Sinted Professora Maria Aparecida Diogo, em um bate papo com o querido Secretario Municipal de Educação e também sindicalista nato, Profº Mario Grespan Neto. Ao fudo o Jornalista Ray Santos e o Professor Germano Molinari.

Direção da Escola Municipal Parque São Carlos proporciona palestra com Conselho Tutelar para pais e estudantes do noturno

 Fotos Juvenal Moreira
Conselheira Elizete
A direção da Escola Municipal Parque São Carlos, realizou no dia 13 de março de 2012, com inicio ás 20 horas, mais um reunião com pais de aluno. O objetivo foi divulgar as normas da instituição e cobrar responsabilidade de pais, mães e responsáveis, pela indisciplina dos estudantes. Na oportunidade fizeram -se presente os Conselheiros Tutelares: Davis Martinelli, Míriam Herreira Monteiro e Elizete. Os Conselheiros, foram muito objetivos em suas orientações aos presentes, dizendo que jamais deixarás de proteger os direitos das crianças e dos adolescentes, mas que fazem questão de que também dêem suas respectivas parcelas de contribuições pois, todos têm deveres e responsabilidades com a Escola.
 A Conselheira Elizete, fêz questão de ouvir dois professores: Francisca Pereira Modesto e Tania Regina Estequel, que foram enfatica em dizer que o grande problema da escola no período noturno atualmente é a indisciplina pratica pelos menores que a instituição dá a oportunidade de se escolarizar. "O respeito é uma das obrigações dos menores. Ninguém é obrigado a ser amigo de ninguém mas respeitar é constitucional, é obrigação visto que o diretor tem prerrogativa para transfirir todos indisciplinados, de acordo com o artigo 218 inciso II", comentoua Conselheira Elizete, que acrescentou: "Vamos estar sempre presente nas escolas de Três Lagoas, acompanhando de perto o trabalho dos educadores. Vamos apoiá-los, pois sabemos da dedicação dos docentes, tanto da Escola São Carlos, como também das demais instituições de ensino e os estudantes devem virem estudar e não faltar com respeito com esses valorosos profissionais. O diretor Juvenal Moreira, sempre contou com a nossa participação, pois temos conhecimento da sua luta para colocar esta Escola entre as melhores do MS, e isso Ele, não pode fazer sozinho, tem que ter a participação dos pais e dos estudantes.
 A respeito dos casos de indisciplina, o diretor Juvenal Moreira,  tem o devido conhecimento dos caminhos a percorrer para punir quem não respeita professor, diretor e os colegas. Vamos as ultimas consequências, mas não vamos aceitar que menores sejam desrespeitoso com quem se dedica a nos ensinar. Caso for preciso encaminhar para a Promotora da Infância e Adolescencia, vamos encaminhar, pois também faz parte do nosso trabalho. O é obrigado a respeitar os professores", finalizou a Conselheira.

Em sua explanação, Davis Martinelli, deixou claro aos pais., mães e estudantes, que a função dos Conselheiro é proteger menores e adolescentes e também cobrar responsabilidades."Estamos juntos com o diretor Juvenal e a Viviane, dede 2009, em um esforço compartilhado para melhorar a disciplina dos estudantes desta Escola. Temos conseguidos grandes avanços, pois temos recebidos apoio também dos diretores e coordenadores na realização dos nossos trabalhos. Por isso, temos também que dar a nossa contra partida. Que fique bem claro estudantes do noturno; a direção nunca nos chamou aqui no período noturno. Tenho conhecimento que a polícia vaio diversas vezes, mas todas as vezes que formos acionados viremos com certeza para tomar todas as providências cabíveis para os casos que tiverem em evidência", afirmou Davis.
Ato continuo, foi apresentado pelo Diretor Juvenal, vídeo sobre os direitos e deveres dos estudantes, vindo por salientar que o Regimento Escolar será obdecido na íntegra, tanto para estudantes, como para trabalhadores em educação. "Portanto que todos cuidem do comportamente dos seus respectivos filhos na instituição", disse o diretor. 


FETEMS entrega prêmio para prefeito educador

foto: divulgação


Durante a programação do dia de mobilização da greve nacional em nível estadual, que foi realizado em Campo Grande, nesta quinta-feira (15), pela FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), 15 gestores públicos municipais foram homenageados pela Federação com o prêmio “Prefeito Educador”, por cumprirem na íntegra a Lei do Piso Salarial Nacional, nº 11.738.
 
A Lei prevê o pagamento de um salário de R$ 1.451 para o professor de nível médio, em início de carreira e 1/3 da hora atividade para os professores se capacitarem, prepararem suas aulas, corrigirem provas e atenderem os pais de alunos.
 
Entre os municípios sul-mato-grossenses que respeitam a legislação, Paranaíba é o que tem o melhor salário para os profissionais da educação, com um piso de R$ 2.019. Para o prefeito de Paranaíba, José Garcia de Freitas, cumprir a lei do Piso é uma obrigação do gestor público. “O valor do piso é o mínimo que um prefeito pode fazer pela educação, é respeitar o professor como educador e profissional responsável em cuidar da formação de nossas crianças”, afirma.
 
Em Três Lagoas, primeiro município de MS em que a Lei do Piso foi implantada, no ano de 2009, a prefeita Márcia Maria de Souza, salienta que a mudança no ensino público é visível. “O professor receber o piso e ter o 1/3 da hora-atividade refletiu no ensino, hoje temos mais professores capacitados, especialistas, menos licenças médicas e com tudo isso temos a certeza que se trata de um dos mais importantes investimentos feitos em Três Lagoas, pois caminhamos para termos uma educação pública cada vez melhor”.
 
Segundo o presidente da FETEMS, Roberto Magno Botareli Cesar, a intenção da Federação ao premiar os gestores públicos comprometidos com a educação é mostrar para a sociedade sul-mato-grossense e para os demais prefeitos que é possível sim cumprir a Lei e investir mais recursos no ensino público. “Estes gestores mostraram que as promessas de palanque de investimento na educação pública são possíveis e não devem apenas serem usadas como uma maneira de ganhar votos durante as campanhas eleitorais, por isso ao invés de criticar os prefeitos que não cumprem a Lei, resolvemos fazer ao contrário e valorizar quem acredita no ensino público de qualidade como base do desenvolvimento do seu município”, afirma.
 
Roberto disse ainda que o prêmio “Prefeito Educador” será anual e terá critérios diferentes a cada edição. “A partir de hoje a FETEMS lança com esta premiação, o prêmio anual do “Prefeito Educador”, que será concedido com critérios diferentes, dependendo da pauta da nossa luta. A nossa intenção é reconhecer a ação dos gestores que valorizam os profissionais em educação e estão comprometidos com o ensino público de qualidade que todos queremos”, conclui.
 
Os gestores públicos premiados foram:
 
Aquidauna - Fauzi Suleiman - PMDB
 
Antônio João –Lucia Regina da Cruz Butkevicius - PMDB

Água Clara - Edvaldo Alves de Queiroz - PDT
 
Paranaiba –José Garcia de Freitas – PDT
 
Navirai –Zelmo de Brida – PMDB

Sidrolandia –Daltro Fiuza – PMDB
 
Brasilândia - Antônio de Pádua Thiago - PMDB
 
São Gabriel D’oeste - Sergio Luiz Marcon – PSDB
 
Inocência - Antônio Angelo Garcia dos Santos – DEM

Três Lagoas - Márcia Maria de Souza da Costa Moura de Paula – PMDB
 
Miranda - Neder Afonso da Costa Vedovato – PSB
 
Camapuã - Marcelo Pimentel Duailibi – DEM
 
Coronel Sapucaia - Rudi Paetzold – PDB
 
Sete Quedas – Sérgio Roberto Mendes - PDT
 
Nioaque - Ilca Corral Mendes Domingos – PMDB









O PISO É LEI E A GREVE É LEGAL, AFIRMA PRESIDENTE DA FETEMS

Foto: Juvenal Moreira


Fatima, Jaime Teixeira, Roberto Batorelli e Elaine de Sá Costa, as quatro maiores liderança sindical do estado de Mato Grosso do Sul, reunidos em um grande momento, frente a ASSOMASUL, no dia 15 de março de 2012, às 10horas, para entrega de documento que será levado ao conhecimento de todos os prefeitos que ainda não cumprei a lei do piso.

"As escolas públicas das redes de ensino municipais e estaduais de todo o Brasil fecharam as suas portas desde quarta-feira (14) e seguirão assim até a sexta-feira (16). Já fazia uma década que a sociedade sul-mato-grossense não via uma mobilização dos trabalhadores em educação deste tamanho e com essa adesão da categoria.

Em âmbito nacional, a Greve marca o início de uma ampla jornada de luta dos trabalhadores por educação pública, gratuita, universal, laica, de qualidade (com equidade), e por valorização profissional, devendo um de seus desdobramentos culminar na denúncia de governadores e prefeitos - desrespeitadores da Lei do Piso Salarial Nacional, nº11.738, à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a outras instituições internacionais, além dos órgãos do Poder Judiciário nacionais.

Os trabalhadores em educação, em todo o Brasil, conquistaram, depois de muitos anos de luta, o Piso Salarial Nacional. Esta foi uma bandeira histórica dos educadores e sua conquista significou um avanço na busca do reconhecimento profissional e de justiça social para com aqueles que são responsáveis pela formação educacional dos filhos dos trabalhadores.

Porém, a conquista política e também jurídica, em muitos lugares não significou a concretização deste direito. Estados e municípios, por todo o território nacional, tentaram de todas as formas subverter esta legislação e criar diversos mecanismos para postergar o cumprimento da legislação federal.

Somente em Mato Grosso do Sul, além do Governo do Estado, mais 64 municípios, descumprem a Lei do Piso Salarial Nacional, que estabelece o pagamento de R$ 1.451 de piso para o professor de início de carreira e um terço de hora-atividade para o planejamento de aulas. Este dado mostra que a Lei vem sendo desrespeitada em nosso Estado pela grande maioria dos gestores públicos, inclusive pelo Governador.

Batalhamos ainda, nesta greve nacional, para que o novo Plano Nacional de Educação (PNE) seja aprovado e garanta que 10% do Produto Interno Bruto (PIB) do país sejam destinados às ações na área da educação, para isso esperamos que as nossas bancadas federais tenham consciência e acelerem os tramites de aprovação do Plano, principalmente os parlamentares de MS.

Nossa luta é a de todos que reconhecem nos profissionais em educação pessoas importantes e decisivas para a formação de nossas crianças e adolescentes, para a formação de cidadãos mais éticos, justos e comprometidos com as causas sociais.

As nossas bandeiras de deveriam ser as mesmas dos nossos gestores públicos, pois batalhamos pela mesma causa, ou deveríamos batalhar, a educação pública de qualidade como base do desenvolvimento dos nossos municípios, estados e do nosso país. Para isso, são necessários investimentos, infraestrutura adequada, salários dignos, valorização dos profissionais em educação. É necessária vontade política!

Portanto esperamos que a sociedade sul-mato-grossense e a sociedade brasileira entendam que parar as escolas públicas foi necessário, pois a greve é legal, o piso é Lei e é somente assim que vamos conseguir a valorização profissional daqueles que dedicam a sua vida a ensinar os filhos dos trabalhadores brasileiros, que acreditam e apostam na construção de um mundo que tenha a educação como base do desenvolvimento, finalizou Batorelli.








quarta-feira, 14 de março de 2012

Professores de Três Lagoas conquistam piso nacional na véspera de manifestações


Cumprimento da Lei do Piso é principal ítem do movimento dos trabalhadores em educação em todo País
Elisângela Ramos
Paralisação na Praça senador Ramez Tebet em Três Lagoas.
Dezenas de trabalhadores em educação, a maioria professores, participaram na manhã desta quarta-feira em Três Lagoas das manifestações do movimento nacional em defesa da Lei do Piso Salarial. A greve, de três dias, busca denunciar o não cumprimento da lei e também para reflexão das principais demandas do magistério e em defesa do ensino público de qualidade. Após a passeata, no centro da cidade, os professores participaram de ato na Praça Senador Ramez Tebet.
 
REIVINDICAÇÕES

Os professores estão pedindo o cumprimento do pagamento do Piso Nacional no valor de R$ 1.451,00, um terço de hora-atividade para o planejamento de aulas fora da sala, planos de cargos e carreira e também 10% do PIB para a educação.
 
CONQUISTA

às vésperas da greve de três dias, os professores da educação básica de Três Lagoas conquistaram piso de R$ 1.451, valor do piso nacional aprovado pelo Congresso Nacional. Em relação ao piso anterior, a nova reumeração base corresponde a aumento de 22,22% em relação ao pago em 2011 (R$ 1.187,00).

SINTED

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica de Três Lagoas e Selvíria, (Sinted), Maria Diogo, falou sobre a conquista da categoria. "O Sindicato solicitou a publicação da tabela, com os valores corrigidos e com efeito retroativo a janeiro deste ano e a prefeita acolheu nosso pedido", conta Maria Diogo.
 
CRONOGRAMA

Seguindo o cronograma de paralisação nesta quarta-feira (14) houve passeata, panfletagens e assembléias em todo o estado.
 
Nesta quinta-feiura, dia (15), passeata será realizada na Capital com homenagens às prefeituras que cumprem a lei do piso salarial nacional.
 
Na sexta-feira, último dia de mobilização dos professores, haverá debates em todo o Estado sobre o Plano Nacional de Educação (PNE).

com informações do PERFILNEWS

Escola Municipal Parque São Carlos, homenagea mulheres trabalhadoras em educação

Especialista Vanessa e Luciana - professora de artes no telão
A Escola Municipal Parque São Carlos, através de um projeto inédito das especialistas em educação Vanessa e Simone Gomes, prestou uma justa homenagem a todas as mulheres trabalhadoras em educação lotadas na unidade escolar.

Trabalhadores em Educação do período vespertino
O projeto das especialistas, evidenciaram a importância da mulher no mundo, os avanços e conquistas que vem garantindo junto a sociedade através de suas lutas, coragem e ousadia. Foi apresentado um mega vídeos criado por Elas, com apoio do monitor de informática Felipe Garcia, que registrou através do data show a foto de todas colegas de trabalho, além de montagem de um quadro com imagem fictícias, com personalidades parecidas.

As trabalhadoras em Educação do noturno assistindo o video com suas imagens
Na oportunidade foi lida a mensagem da direção e da SEMEC parabenizando-as pelo DIA INTERNACIONAL DA MULHER, 8 de março e saboreado um mega coquetel oferecido pelo diretor Professor Juvenal Moreira.  Vale ressaltar que as apresentações foram feitas nos três períodos que contou também com apoio dos demais monitores de informática: Murilo fumaça  e do Professor Lúcio Mauro (este do noturno).
Especialista em Educação Simone Gomes (em pé), fala de sua experiência com o projeto na cidade de Araruna no estado do Paraná, sua cidade natal.
Todas as mulheres da Unidade Escolar foram homenageadas

Especialista Simone e a Professora Cristina Modesto


E.M.Parque São Carlos constrói quadra de volei de areia


Em uma ação articulada entre direção, professores e estudantes, foi possível a construção de uma quadra para prática de voleibol na areia. Tudo aconteceu depois que o coordenador de Projetos na Escola municipal Parque São Carlos, Professor Ronaldo Pires da Costa, mostrou interesse em ampliar as atividades na unidade escolar, visando melhor desenvolvimento físico, intelectual e moral dos alunos através do esporte. Ao comentar com o diretor Juvenal Moreira, que também é professor de Educação Física e sabe dos valores que o esporte proporcina na formação das crianças e adolescentes, não mediu esforços para viabilizar os recursos e a quantidade de areia necessária, solicitada pelo organizador do empreendimento, vindo por realizar parceria com os estudantes participantes dos projetos, que recolheram garrafas peti e encheiro de agua, com intuito de dar sustentação e fazer o contorno em volta da quadra, formando o muro de proteção para evitar espalhar areia. Os servidores cavaram o buraco em volta e os professores: Aroldo, Serginho Oliveira e Suely Flores, em substituição aos engenheiros, encarregaram-se do resto, ficando com o lombo no sol!!!!. O quadra teve aprovação total do Secretario Municipal de Educação Professor Mario Grespan Neto, que se colocou a disposição para dar suporte aos projetos, vindo por elogiar a atitude dos envolvidos na realização. Para o professor Ronaldo Pires, foi pouco investimento e o trabalho de reaproveitamento das garrafas, é importante para proteger o meio ambiente.
Os estudantes aprovaram a ideia e já fazem aula de iniciação esportiva, pensando em competições futuras com a camisa da instituição, além de desenvolver atividades relacionadas com o projeto recreio dirigido. A direção da unidade agradece o empenho dos professores pelo sucesso alcançado.

COMO É O VOLEI NO MUNDO?

O vôlei é um esporte conhecido mundialmente e desde o ano de 1985 já é praticado no mundo todo. Um esporte inventado nos Estados Unidos por William George Morgan, sendo que o seu principal objetivo foi criar um esporte que não precisasse de nenhum tipo de contato físico de pessoa em pessoa, para evitar assim os riscos de lesões.

Trata-se de um esporte praticado por diversas pessoas, atletas e até mesmo atletas armadores, os quais gostam do esporte. O vôlei pode ser praticado tanto em quadra fechada como também na praia, conhecido como vôlei de areia.

O vôlei, independente se é praticado em quadra ou em areia é um esporte totalmente benéfico para o organismo, pois sua prática pode trazer benefícios para a saúde, pois é um esporte que ajuda na coordenação motora, ajudando a pessoa a ter mais equilíbrio, aumenta o reflexo, aumenta a força muscular dos membros inferiores e também dos braços, ajuda no crescimento da estrutura óssea em crianças e adolescentes, dentre outros benefícios.

É um esporte que pode ser praticado tanto por adultos como também por crianças e idosos e também pode ser praticado por mulheres como homens, pois é um esporte que permite acesso a diversas idades e sexo.

Este exercício é muito praticado principalmente por idosos, os quais mantêm a forma física e também ajuda o corpo a se manter estável e com saúde. Para os adultos é um exercício que ajuda a manter a forma, define os músculos do corpo todo, ajudando a esquecer os problemas do dia a dia, acabando com a ansiedade e o estresse, pois produz serotonina que é uma substância que dá prazer e aumenta a autoestima e bem estar.

O vôlei atua tanto na saúde física como também na saúde mental das pessoas, trabalhando diversos aspectos do nosso organismo, entre eles:

Agilidade: pois o vôlei necessita que o seu praticante tenha muita agilidade em todas as situações do jogo, tendo sua atividade estimulada, devido à necessidade de jogadas rápidas, tornando-se assim ágil;

Coordenação: o vôlei precisa de movimentos que não são comuns em nosso dia a dia e para conseguir realizá-los de maneira correta e eficaz, o praticante precisa treinar e ter uma boa coordenação motora, pois para se aprender um movimento que não é muito comum em nosso dia a dia é necessário coordenação, além de muito treino e dedicação, mas a partir do momento em que a pessoa tem uma boa coordenação motora para determinados movimentos, isso lhe proporciona um melhor movimento;

Gasto calórico: o vôlei, assim como todos os exercícios físicos, proporciona uma atividade física prolongada e de grande movimentação do corpo, tendo um gasto calórico de 600 calorias em 1 hora e 30 minutos de treino;

Massa Muscular: o vôlei predomina nos movimentos anaeróbicos, ou seja, aqueles movimentos musculares de curta duração de tempo, mas mesmo assim eles estimulam a obtenção de massa muscular, sendo os movimentos que estimulam a musculatura: ataque que trabalha as costas, ombros, peito, abdômen e braços, arrancada rápida e salto vertical;

As principais vestimentas que devemos utilizar na prática do vôlei são: tênis com boa absorção de impactos, meias longas para absorção do suor, camiseta de manga curta ou regata e devem ser lisas para deslizar no chão em situações de defesa baixa, calção curto ou shorts curto para liberdade nos movimentos;

Os equipamentos indicados são: esparadrapo nos dedos para evitar lesões, estabilizador para evitar torções nos tornozelos, joelheiras para os impactos nos joelhos e cotoveleira para proteção dos cotovelos.























sexta-feira, 2 de março de 2012

Recreio Dirigido reduz considerávelmente o BULLYNG na Escola Municipal Parque São Carlos

Especialistas em Educação Simone Gomes (com o bambolè), e Vanessa, brincam com estudantes

Estando os alunos sob a responsabilidade da  Escola Municipal Parque São Carlos, o Recreio Dirigido é um dos grandes momentos que podem se transformar em excelentes oportunidades para os educadores conhecerem melhor os educandos, assim como para melhor exercer sua função educativa.
 Nesse contexto, as atividades livres ou dirigidas, durante o período de recreio, possuem um enorme potencial educativo e são consideradas pela escola na elaboração da sua Proposta Pedagógica.

Professor Aroldo Silva, acompanha o basquete recreativo durente o Recreio

Na legislação, o recreio e os intervalos de aula são considerados como horas de efetivo trabalho escolar. Sendo assim, não são apenas os limites da sala de aula propriamente dita que caracterizam a atividade escolar.

O Professor Juvenal Moreira (Diretor da unidade escolar), mostra suas habilidades com a bola nos pés

Vários municípios brasileiros estão implantando em suas respectivas PP (Propostas Pedagógicas), o Projeto: “Recreio Dirigido”, no qual as crianças e adolescentes desenvolvem os seus potenciais intelectuais e sociais. São incorporadas atividades atrativas como jogos para auxiliar no convívio social (futsal, futebol, xadrez, musica, amarelinha, pula corda, bambolês,até bola de gude, entre outros), que auxiliam na aprendizagem em sala de aula, combatendo o ócio e a indisciplina.

Professor de Educação Física Serginho Oliveira, dedicação total.

A Escola Municipal Parque São Carlos, sob direção da Professora Viviane e Juvenal Moreira, adotou um novo olhar para o recreio desde Julho de 2009, quando assumiram a direção da unidade escolar, vindo por manter o referido projeto até os dias de hoje. Ao invés de levar grupos de crianças que brigam e se machucam no recreio para a direção, agora a escola proporciona atividades dirigidas, durante o intervalo, sob coordenação do geral do Professor Ronaldo Pires da Costa, auxiliado pelos também professores; Serginho Oliveira, Suely Flores, Bruno Fernandes e Aroldo Silva. Dessa maneira, proporciona-se aos alunos um momento de diversão, alegria e interação, estimulando a coletividade, autonomia e habilidades de cada aluno, utilizando os materiais disponíveis. Como consequência, o bullying no ambiente escolar tem sido reduzido considerávelmente.






MEC divulga piso de R$ 1.451 para professores de ensino básico
O Ministério da Educação divulgou na segunda-feira (27) o novo valor do piso salarial nacional para os professores de educação básica: R$ 1.451. Isso representa um reajuste de 22,22% em relação ao ano passado, quando o piso era de R$ 1.187.
 
O MEC usa como parâmetro de reajuste o aumento no valor gasto por aluno no Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) - como prevê a lei nacional do piso do magistério, de 2008.
 
O novo valor se refere ao mínimo que deve ser pago para professores com jornada semanal de trabalho de 40 horas. O piso deve ser divulgado anualmente até o mês de janeiro para ter vigência para todo o ano. Como houve atraso, o novo valor deve ser retroativo ao primeiro mês do ano.
 
Apesar de ser uma lei federal, o piso para professores ainda é desrespeitado por muitos Estados e municípios. "Na verdade, a lei completa não é cumprida em praticamente nenhum lugar", disse o presidente da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Roberto Franklin de Leão.
 
A CNTE convocou uma paralisação nacional para os dias 14,15 e 16 deste mês por conta do não cumprimento da lei do piso. Além do mínimo salário que deve ser pago, a lei também prevê que um terço da jornada de trabalho deve ser extraclasse - na preparação de aulas ou atendimento ao aluno.
 
Reportagem da Folha de novembro do ano passado mostrou que 17 Estados não cumpriam a legislação relativa ao piso - em pelo menos um dos pontos previstos. Do total de Estados, seis não pagavam na ocasião o mínimo estabelecido para o salários dos professores e 15 não respeitavam o limite de um terço da carga horário para atividades extraclasse. Havia casos de Estados que não seguiam nenhuma regra. (FOLHA.COM)