Loading...

segunda-feira, 29 de março de 2010

E.M.Parque São Carlos promove teatro "Criança Feliz na Escola"

Fotos: Juvenal Moreira
A direção da Escola Municipal Parque São Carlos, promoveu na quinta feira (25) nos períodos matutino e vespertino, o Projeto "Criança Feliz na Escola", com os Palhaços "Torresmo e Torresmin", da cidade de Goiânia/ Goias.
 Os educandos fizeram a festa com as divertidas brincadeiras e com a interpretação da Peça: Higiêne e Saude, oportunidade que os Palhaços deram uma verdadeira aula de higiêne corporal, além de interagir com as crianças, falaram também de bons costumes, respeito e comportamento.
A Peça chamou atenção por ser totalmente educativa e recomendada para todas as crianças de pré ao  6º ano do ensino fundamental..

sábado, 27 de março de 2010

CNTE promove grande mobilização pelo piso e pela carreira dos educadores durante a Conferência


A CNTE preparou uma grande estrutura para mobilizar profissionais de educação e atores sociais envolvidos e comprometidos com a educação no País, no evento que reunirá mais de três mil pessoas de todo os cantos do Brasil: a Conferência Nacional de Educação - CONAE 2010.

Para Roberto Leão, Presidente da CNTE, a Conae representa um espaço onde todos os segmentos sociais terão vez e voz. E a CNTE vai aproveitar a Conferência para lutar pelo piso e pela carreira dos profissionais de educação. Durante os dias de debates, serão promovidas ações como panfletagem, reuniões temáticas e revoada de balões a fim de chamar a atenção para a implementação do piso e do plano de carreira .

No estande da CNTE os participantes da Conferência terão acesso a extenso material sobre as atividades e mobilizações realizadas pela Confederação em defesa dos direitos dos trabalhadores em educação.

Outro grande momento será o lançamento da revista “Revista Retrato da Escola”, que traz em sua quinta edição uma pesquisa inédita que aponta, entre vários temas, o perfil dos funcionários de escola.



Atividades da CNTE na CONAE 2010



28 de março

16 às 18h • Panfletagem com Trio de Forró

Local: Em frente à entrada principal do Centro de Convenções Ulysses Guimarães



18h30 • Abertura Cultural



20h • Abertura Oficial



29 de março:

9 às 11h • Panfletagem com Trio de Forró

Local: Em frente à entrada principal do Centro de Convenções Ulysses Guimarães



12h • Lançamento

“Revista Retratos da Escola”

Local: Auditório Águas Claras


Colóquios:

14h • Colóquio 1.1 • “O papel do Estado na Regulação e na Garantia do Direito à Educação”

Roberto Leão – Presidente

14h • Colóquio 2.10 • “Gestão Democrática e Qualidade Social da Educação”

Denilson Bento da Costa – Secretário Geral

14h • Colóquio 2.11 • “Emancipação, Autonomia e Participação Popular Desafios na Construção da Qualidade Social e Democrática da Educação para Todos (as)

Joel de Almeida Santos – Secretário Adjunto de Assuntos Educacionais (Coordenação)

16h30 • Colóquio 2.13 • “O PDE e a Construção Coletiva de Referenciais para a Efetivação da Qualidade Social de Educação”

 
Raquel Guisoni – Secretária de Relações de Gênero
16h30 • Colóquio 2.14 • “Concepções Curriculares e a Consolidação Político-Pedagógica da Prática Educativa”


Maria Inez Camargos – Secretária de Organização (Coordenação)

18h • Reunião da CNTE


Discussão das emendas

30 de março


Colóquios:



8h • Colóquio 4.28 • “Formação Inicial e Continuada de Professores Políticas e Desafios”

Gilmar Soares Ferreira – Secretário de Formação

8h • Colóquio 4.29 • “Funcionários de Escola e Pessoal Técnico-Administrativo Formação e Identidade Profissional”


José Carlos Bueno do Prado – Secretário Adjunto de Política Sindical

8h • Colóquio 4.30 • “Avaliação e os Instrumentos de Valorização dos Profissionais de Educação”


Heleno Araujo Filho – Secretário de Assuntos Educacionais

8h • Colóquio 4.31 • “Piso Salarial, Diretrizes Nacionais de Carreira, Desenvolvimento Profissional, Reconhecimento Social e Melhoria das Condições de Trabalho na Educação Escolar“


Juçara Dutra Vieira – Secretária de Finanças

8h • Colóquio 4.34 • “Política Nacional de Formação Articulação entre o Ministério da Educação, os Sistemas de Ensino e Instituições Públicas de Educação Básica e Superior”


Maria Antonieta da Trindade – Secretária Adjunta de Assuntos Educacionais
8h • Colóquio 4.35 • “Políticas de Prevenção e Atendimento à Saúde dos Trabalhadores em Educação”


Alex Santos Saratt – Secretário de Saúde dos Trabalhadores em Educação

8h • Colóquio 5.37 • “Política de Fundos Articulação e Consolidação do Sistema Nacional de Educação”


Marta Vanelli – Secretária de Assuntos Municipais

8h • Colóquio 5.38 • “Vinculação e Sub-vinculação dos Recursos Financeiros à Manutenção e Desenvolvimento da Educação, na Perspectiva do Custo-Aluno-Qualidade (CAQ)”


Fátima Aparecida da Silva – Secretária de Relações Internacionais (Coordenação)

10h30 • Colóquio 5.40 • “Estratégias para o Financiamento da Educação Pública de Qualidade Alterações no Sistema Tributário e Fiscal”


Milton Canuto de Almeida – Vice-Presidente

10h30 • Colóquio 6.43 • “Estratégias de Superação à Violência no Ambiente Educacional”


Marco Antonio Soares – Secretário de Direitos humanos

10h30 • Colóquio 6.45 • “Educação e Relações Etnico-Raciais e Multiculturais”


Rosana Sousa do Nascimento – Secretária de Políticas Sociais

31 de março




Mesa de Interesse:



14 às 16h • “A Valorização Profissional no Plano Nacional de Educação”


CNTE em parceria com a CONTEE


Heleno Araújo Filho (Coordenação)
Roberto Franklin de Leão (Abertura)


Juçara Dutra Vieira (Palestrante)

Dep. Federal Carlos Augusto Abicalil PT/MT (Palestrante)

Dep. Estadual Teresa Leitão PT/PE (Palestrante)


Local: Sala Modulável 2, Térreo

14 às 16h • “O Potencial das Políticas Tributária e Educacional para o Desenvolvimento com Equidade”


Promoção CDES/Observatório da Equidade


Juçara Dutra Vieira, representante da CNTE no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Palestrante)

16 às 18h • “Condições de Trabalho e Saúde dos (a) Trabalhadores (as) em Educação”


CONTEE em parceira com a CNTE


Palestrante: Alex Santos Saratt

Local: Auditório Planalto



1 de abril

12h • Revoada de balões em defesa do piso e da carreira dos trabalhadores em educação

Local: Em frente à entrada principal do Centro de Convenções Ulysses Guimarães















FETEMS sai às ruas em defesa do piso salarial

passeata aconteceu em Corumbá no fim de tarde, durante o segundo dia (19/03) da 5ªConferência de Educação da FETEMS, na cidade considerada a Capital do Pantanal sul-mato-grossense.
A participação na manifestação contou com cerca de 600 professores e professoras, representando 70 municípios do Estado. A caminhada começou em frente ao Clube Riachuelo, ponto escolhido para reunir os trabalhadores em educação e percorreu as ruas do centro da cidade.

Durante a mobilização de aproximadamente uma hora de duração, as palavras de ordem dos representantes sindicais e professores foram a favor da implantação do Piso Salarial Profissional Nacional e contra o governador André Puccinelli (PMDB).

Puccinelli é dos cinco governadores que impetraram no Superior Tribunal Federal (STF) a ADI 4167. A medida impede a implantação integral da lei 11.738/08 que instituiu o Piso Salarial para os professores.

O valor como salário base reivindicado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) e pela FETEMS é de R$ 1.312,85.

A caminhada é uma das formas da FETEMS e suas afiliadas para marcar a luta pela implantação do Piso Nacional do Magistério, ainda desrespeitada pela maioria das prefeituras do Estado.

Professores visitam Vitória Régia no Pantanal

Fotos: Juvenal Moreira
Um grupo de Professores, liderados por Juvenal Moreira e Mara Carrara, visitaram um verdadeiro canteiro de flores Vitória Regia, em pleno Pantanal as margens do Rio Paraguai, próximo ao Municipio de Corumbá/MS.
A visita aconteceu durante horas de folga em que os Profissionais da Educação - delegados - participavam da 5ª Conferência Estadual da Educação, realizada de 18 a 20 de março de 2010, em Corumbá.
Segundo a Professora Mara Carrara, que já foi Presidente da FETEMS - Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul, já viu muita coisa bonita, mas, Vitória Régia que na sua opinião é uma das flores mais linda do mundo e de pertinho é a primeira vez:
"Confesso que nas minhas idas e vindas, já deparei com coisas lindas, mas como essas Flores: Vitória Régia, do Pantanal é a primeira vez. Perdeu quem  não quiz vir", comentou a Professora.

Professores da E.M.Parque São Carlos reúnem na residência do Profº Vinicius Belon

Fotos: Juvenal Moreira
Vinicius, Chiquinho, Agnaldo e Aurelio
Vale apena registrar o encontro dos Professores da Escola M.Parque São Carlos, sábado (27), a partir das 10hs, na residência do Profº Vinicius Belon, onde falaram de política partidária, sindical, além de valorização e Educação de Qualidade. Durante o encontro que foi agendado para o tira tema no Jogo de Truco, rolou muito BEER e CHURRASCO.

Segundo o Professor Juvenal Moreira, Diretor Adjunto da Unidade Escolar, no próximno encontro será realizado um verdadeiro "Torneio de Truco" e poderá ser convidado as Professoras que têm o domínio dessa empolgante modalidade esportiva. O Evento contou também com a presença do competente Profº Chiquinho Sferra Bueno, cunhado de Vinicius, que enriqueceu os debates sobre: O que é uma verdadeira Educação de Qualidade? É isso aí, Prof° onde se encontram, falam de Educação, que paixão pela profissão! 

domingo, 21 de março de 2010

Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos Trabalhadores em Educação de Três Lagoas recebe elogios em Brasília

O Plano de Cargos, Carreira e Remuneração – PCCR dos trabalhadores da educação do município de Três Lagoas, aprovado no início do mês, foi aplaudido e elogiado durante o Congresso Nacional dos Trabalhadores na Educação, realizado em Brasília, na semana passada. O motivo principal dos elogios é que Três Lagoas foi a única cidade do País a incluir e transformar em lei benefícios que há muito vem sendo reivindicado pelos profissionais da educação.


Uma das melhorias é a concessão de hora-atividade para o especialista em educação (educadores que transmitem conhecimento para os professores) que foi reduzida de 40h para 36h, permitindo ainda que 70% desta carga horária sejam cumpridas dentro da escola e o restante em cursos e capacitações. Outro importante ponto diz respeito aos funcionários administrativos que também serão incluídos no programa de valorização profissional e passam a ter direito a uma carreira que vai contemplar tanto a antiguidade como a escolaridade. Com isso, estes profissionais vão ascender na carreira de acordo com cursos de graduação que façam ao longo dos anos.


Segundo o secretário Municipal de Educação, professor Mário Grespan, este foi mais um avanço no setor educacional de Três Lagoas, que já havia marcado pontos com a implantação do Método Positivo nas escolas municipais e o pagamento retroativo a 2008 do piso salarial nacional. “Desde 2005, a educação em Três Lagoas começou a merecer destaque nacional e de lá para cá, acumulamos prêmios e elogios”, disse.


A jornada de trabalho dos professores da Rede Municipal de Ensino (REME) em Três Lagoas também foi alterada. Na categoria magistério, os professores com 20 horas/aulas semanais terão direito a seis horas para planejamento e atividades fora da sala de aula. Para aqueles que cumprem 40 aulas, serão 12 horas. Estas horas para atividades, com duração igual à de uma hora, destina-se ao preparo do trabalho didático, colaboração com eventos e atividades desenvolvidas na escola, aperfeiçoamento profissional e atendimento aos pais e alunos. Vale observar que deste percentual concedido aos professores e especialistas em educação, 70% do tempo deverá ser utilizado na própria unidade escolar e o restante (30% do tempo) em local de livre escolha do docente, como sua própria casa ou na comunidade.

Outro destaque no novo PCCR é com relação à gratificação de férias, que conforme o artigo 41 determina o pagamento de 50% da remuneração mensal. Já o artigo 42, “a gratificação de férias dos trabalhadores da educação em efetivo exercício de suas funções deverá ser creditada, anualmente, na folha de pagamento do mês de dezembro”.

Também foi feita a mudança do período de negociação dos administrativos, que era feita em data diferente dos professores, passando a ser feita em janeiro junto com os educadores. Além disso, foi fechada uma negociação salarial para 2011 e 2012.

Consenso

Para a prefeita Simone Tebet (PMDB) o novo plano é fruto do amadurecimento e do consenso na relação entre o Sinted (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Três Lagoas e Selvíria) e a Administração Municipal. “A valorização profissional é um dos pilares que sustentam a grande edificação chamada educação de qualidade. O novo plano é resultado de dois anos de negociações e reavaliações, que passaram por estudos detalhados para atender a uma pauta de reivindicações”.

A prefeita destacou ainda que o novo PCCR não é imutável e poderá ser reajustado, reavaliado e modificado conforme a necessidade e o entendimento da categoria e da administração pública. “O plano é fruto de ampla discussão entre o Sinted, a Administração Municipal e os servidores (especialistas, professores e pessoal técnico administrativo) e por isso mesmo sujeito as novas avaliações e mudanças”, pontuou.



O PCCR também foi elogiado pela presidente do Sinted, Elaine de Sá Costa.



Para ela, a educação em Três Lagoas, principalmente na Rede Municipal de Ensino, caminha a passos largos com direção ao que pode ser considerado ideal. “Junto com as novas escolas que oferecem melhores condições para alunos e professores, a valorização profissional está reorganizando a situação educacional e o resultado disso é altamente positivo”, afirmou.

Segundo Elaine, em Três Lagoas a única luta que ainda não teve um resultado satisfatório é o pagamento do piso nacional para os professores com 20 horas/aula, já que o piso atualmente pago na cidade é apenas para aqueles que cumprem 40 horas/aulas. A Rede Municipal de Ensino conta atualmente com 1.100 professores em atividade

sábado, 13 de março de 2010

Escola Municipal Parque São Carlos inicia Projeto de Basquete "Comunidade na Escola"


A Escola Municipal Parque São Carlos, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, através do Profº Mario Grespan Neto, Secretario Municipal de Educação e Cultura, implantou o tão sonhado pela comunidade Escolar: Projeto Basquete "Comunidade na Escola", sob responsabilidade do Profº Ronaldo Pires da Costa (Ronaldão), técnico, conhecido nos meios esportivo, devido as grandes conquistas, em oportunidades recentes, em que foi o responsável pelos treinamentos da Seleção Treslagoense de Basquetebol Feminino.
 O Professor Ronaldo, iniciou seus trabalhos na manhã de sábado (13), na Quadra Poliesportiva da própria Unidade Educacional, onde encontrou total apoio da Direção Escolar, através do Profº Juvenal Moreira, Diretor Adjunto.
As aulas e treinamentos de acordo com Pires, serão ás segundas e quartas-feiras, das 17 as 18hs30minutos, e aos sábados das 08:hs ás 10horas, sendo a principio turmas mistas (masc/fem).

Segundo o Profº Ronaldo, os Objetivos do Projeto Basquete é: "Difundir e fomentar a prática desportiva e o lazer como instrumento de inserção social, através da  modalidade de basquete.



• Conscientizar os jovens, assim como suas famílias, para a importância do esporte como veículo de educação, responsabilidade e compromisso através da participação em jogos, torneios e campeonatos.


• Incentivar a participação dos atletas, através das equipes de base, em competições promovidas pela Federação de Basquete do Mato Grosso do Sul e Sejuvel

• A obtenção do êxito na disputa das competições será buscada com empenho. Porém a introdução e o reforço de valores que são considerados essenciais para o desenvolvimento moral, físico e intelectual dos atletas em formação serão priorizados, bem como o respeito às características individuais", evidenciou o Professor Ronaldão. 
 
Para o Profº Juvenal Moreira, Diretor Adjunto da Unidade Escolar, o Projeto de Basquete na escola, é a realização de um sonho: "Nós gostamos de trabalhar com Projeto, visto que é o meio mais fácil de disciplinar os participantes mostrando valores éticos e moral", comentou o diretor.

terça-feira, 9 de março de 2010

PARA ANÁLISE DOS AMIGOS :Serra X Dilma

O post abaixo é uma primeira versão de uma biografia comparada entre José Serra (PSDB-SP) e Dilma Rousseff(PT-RS), para ser espalhada pelos quatro cantos do Brasil. Não há nenhuma mentira neste levantamento de dados e fatos sobre a vida pública dos dois oponentes. Os Blogs pela


Democracia tem o papel de colocar a verdade para o eleitorado médio, aquele que está longe dos blogs políticos. Precisamos, além do nosso trabalho dentro do nosso ambiente, transformar este tipo de post em e-mail, em corrente, em material para orkut, em informação para as redes sociais. Este é o nosso trabalho. Aprimorem esta comparação. Criem a sua própria. Levantem novos dados. O importante é confrontar os dois candidatos. Quando a campanha começar, boa parte do Brasil já vai estar conhecendo José Serra e Dilma Rousseff. Com capacidade de julgar e escolher o que é melhor para o Brasil.

Aí vai, etapa por etapa, a vida dos dois:

José Serra tem 68 anos, é paulista, filho de imigrantes italianos, o pai vendedor de frutas no Mercado Público, foi criado em uma pequena casa quarto e sala, geminada com outras 24, em São Paulo.


Dilma Rousseff tem 62 anos, é mineira, filha de um imigrante húngaro, rico empreiteiro e dono de construtora, proprietário de dezenas de imóveis em Belo Horizonte, foi criada em um grande e espaçoso apartamento em Belo Horizonte.

Somente quando chegou ao Científico, a família Serra mudou-se para um apartamento de dois quartos, alugado. Antes disso, moraram em uma pequena casa em rua de chão batido.


Imóvel não era problema para a rica família Rousseff, que passava férias no Rio. Um dos espaçosos apartamentos foi cedido para Dilma utilizar, exclusivamente, como esconderijo seguro para os grupos terroristas dos quais participava, de onde saíam para praticar atentados, roubar e seqüestrar.

No início dos anos sessenta, vinculado à política estudantil, Serra foi presidente da União Estadual de Estudantes, de São Paulo, e da União Nacional dos Estudantes, com apoio da Juventude Católica.


Democrata, sempre usou o palanque e a tribuna como armas, jamais integrando grupos terroristas e revolucionários manipulados pelo comunismo internacional.


Dilma, por sua vez, neste mesmo período, fazia política estudantil nas escolas mais burguesas de Belo Horizonte. Em 1963, ingressou no curso clássico e passou a comandar uma célula política em uma das mais tradicionais escolas da cidade, onde conheceu futuros companheiros de guerrilha, como o atual prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel.

Em 1964, Serra exilou-se na Bolívia e, posteriormente, na França, retornando ao Brasil em 1965, na clandestinidade. Ainda neste ano, foi para o Chile, onde ficou durante oito anos. Com a queda de Allende, foi para a Itália e, posteriormente, para os Estados Unidos. Teve uma vida extremamente produtiva no exílio, onde adquiriu sólida formação acadêmica, foi professor e consultor.


Em 1964, Dilma começou a conviver com terroristas de esquerda, iniciando a sua carreira como militante na luta armada. Neste período ingressou na POLOP, Política Operária, onde militou até ingressar na universidade.

Em 1967, Serra casou-se com a psicóloga e bailarina Sílvia Mônica Allende, com quem tem dois filhos e dois netos e continua até hoje casado.


Dilma também casou-se em 1967, com o terrorista e guerrilheiro Cláudio Galeno de Magalhães Linhares ("Aurelio", "Lobato"). Quando o primeiro marido a deixou, para ir cumprir missões em outros países, sequestrando um avião no Uruguai, por exemplo, teve um segundo casamento com Carlos Franklin Araújo, com quem teve uma filha.

 
Desde 2000, não está casada.



Serra interrompeu a sua formação acadêmica em função do exílio, que impediu que seguisse a carreira de Engenheiro. No entanto, no Chile, fez um mestrado em Economia e foi professor de matemática na CEPAL. Posteriormente, nos Estados Unidos, fez mais um mestrado e um doutorado na prestigiada Universidade de Cornell.Tem uma das mais sólidas formações na área no Brasil.


Dilma ingressou em 1967 na faculdade de Ciências Econômicas da UFMG. Ali participou da criação do sanguinário grupo COLINA, Comando de Libertação Nacional. Posteriormente, participou ativamente da fusão entre a COLINA e a VPR, Vanguarda Popular Revolucionária, quando surgiu a violenta VAR-P, Vanguarda Armada Revolucionária Palmares, responsável por dezenas de crimes contra civis e militares.


Serra permaneceu 10 anos longe do Brasil. Retornou em 1977, dois anos antes da Lei da Anistia, sendo um dos únicos que voltou sem nenhuma garantia de liberdade e ainda com os direitos políticos cassados.


Enquanto isso, Dilma estava na clandestinidade, participando de ações armadas, recebendo treinamento para guerrilha no exterior, ministrado por organizações comunistas internacionais. Aprendeu a usar o fuzil com maestria, especialmente na atividade de montá-lo e desmontá-lo no escuro. Foi presa em 1970, permanecendo nesta condição até 1973.

Em 1978, Serra iniciou a sua carreira política, que este ano completa 32 anos. Neste ano, teve sua candidatura a deputado impugnada, sob a alegação de que ainda estava com os direitos políticos suspensos. Foi admitido como professor de Economia na UNICAMP, onde ficou até 1984.


Em 1973, Dilma Rousseff retomou o curso de Economia na UFRGS, no Rio Grande do Sul, onde estava preso seu segundo marido, Carlos Araújo. Ingressou, junto com o marido, no PDT e recebeu um cargo de estagiária na Fundação de Economia e Estatística, em 1977. Em 1978, Dilma Rousseff começou a fazer o mestrado na UNICAMP e, depois, o doutorado. Durante anos, mentiu em seu currículo que tinha concluído os dois cursos quando, na verdade, mal cursou os créditos, que representa quando muito 10% de um título acadêmico strictu sensu.

Em 1983, Serra iniciou, efetivamente, a sua carreira como gestor, assumindo a Secretária de Planejamento do Estado de São Paulo.


Em 1985, Dilma assumiu a Secretaria Municipal da Fazenda, em Porto Alegre, no governo do pedetista Alceu Collares, com quem tem uma dívida de gratidão. Hoje Collares é conselheiro de Itaipu.

Em 1986, Serra foi eleito deputado constituinte, com a maior votação do estado de São Paulo. Foi o deputado que aprovou mais emendas no processo da Constituinte: apresentou 208 e aprovou 130, uma delas criando o Fundo de Amparo ao Trabalhador. Liderou toda a reformulação orçamentária e de planejamento do país, no período, que começaram a estruturar as finanças brasileiras, preparando-as para o futuro Plano Real.


Dilma saiu da Secretaria da Fazenda de Porto Alegre em 1988, sendo substituída pelo hoje blogueiro Políbio Braga, que afirma: "ela não deixou sequer um relatório, e a secretaria era um caos."

Serra foi um dos fundadores do PSDB, em 1988. Foi derrotado por Luiza Erundina, do PT, nas eleições para prefeito de São Paulo. Em 1990, foi reeleito deputado federal com a maior votação em São Paulo.


Em 1989, Dilma foi nomeada Diretora-Geral da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, na cota do marido no PDT. Alguns meses depois foi demitida, pois não obedecia horários e faltava a todas as reuniões, segundo Valdir Fraga, o presidente da Casa, à época.

Em 1994, Serra foi um dos grandes apoiadores do Plano Real, mesmo com idéias própria que o indispuseram, por exemplo, com Ciro Gomes. Neste ano, foi eleito senador por São Paulo, com mais de seis milhões de votos. Em seguida, assumiu o Ministério do Planejamento.


Em 1995, voltou para a FEE, mas como funcionária, já que o PDT havia perdido a eleição. Ali editou uma revista de indicadores econômicos, enquanto tentava acertar o seu “doutorado” na UNICAMP.

Em 1998, José Serra assumiu o Ministério da Saúde, criando os genéricos e o Programa de Combate a AIDS. Criou a ANS e ANVISA. Foi considerado, internacionalmente, como uma referência mundial em gestão na área.


Em 1998, na cota do PDT, assume a Secretaria de Minas e Energia, no governo petista de Olívio Dutra, eleito governador gaúcho.Vendo que o partido de Brizola estava decadente, ingressou no PT.

Em 2002, Serra candidatou-se à Presidência, sendo derrotado por Luiz Inácio Lula da Silva.


Em 2002, Dilma foi nomeada ministra das Minas e Energia do governo Lula, puxando o tapete de Luiz Pinguelli Rosa, mestre em engenharia nuclear e doutor em física, que coordenava o grupo de transição.

Em 2004, Serra elegeu-se Prefeito de São Paulo.


Em junho de 2005, Dilma assumiu o lugar de José Dirceu, o chefe da sofisticada organização criminosa do mensalão, sendo saudada por ele como “companheira de armas e de lutas”, em memória aos tempos da guerrilha.

Em 2006, elegeu-se Governador de São Paulo, cargo que exerce até os dias de hoje. É o candidato natural da oposição à Presidência da República.

De lá para cá, vem sendo imposta por Lula como a candidata biônica do PT à presidência da república. No dia 20 de fevereiro de 2010, foi ungida, sem nunca ter conquistado um só cargo público pelo voto ou por concurso, a candidata da situação à sucessão de Lula.

Felicidade

“Precisamos aprender a ser felizes com o que temos. E a prova disso é deixar os outros irem à frente. Aqueles que têm esse sentimento de renúncia interior podem se tornar felizes. Aprenda a ficar livre dos desejos da mente. Pense: Eu tenho tudo.


Deus me deu tanta paz e poder e me colocou para sentar em Seu coração. Quando há empenho verdadeiro, você atrai poder Divino.”

Dadi Janki

Site nacional:
www.bkwsu.org/brasil

Site internacional:

www.bkwsu.org

Mulheres e poder

foto: divulgação
Estamos comemorando mais um Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, e neste período é muito comum fazermos uma retrospectiva da luta feminina ao longo da história. É claro que é muito importante resgatar o passado e homenagear personalidades como Berta Lutz, por exemplo. Sem ela, não estaríamos comemorando os 78 anos do voto feminino no Brasil.


Neste mês de março sempre se faz um balanço, com estatísticas e números a respeito das mulheres no mercado de trabalho, das diferenças salariais, da dupla jornada (em casa e no serviço), do grau de escolaridade, da participação feminina em postos-chave nas empresas e na política.
Temos muito orgulho das conquistas obtidas pela luta de diversas mulheres mundo afora em prol de mais participação política e igualdade de direitos ao longo dos anos. Sem nos esquecermos do passado, chegamos ao século XXI com mais um desafio: a construção de um modo feminino de fazer política.


Diante disso, não há como negar que, cada vez mais, estamos diante de uma nova mulher. Pesquisas indicam que nós mulheres somos mais versáteis, temos ampla capacidade de planejamento, somos práticas e sentimentais ao mesmo tempo. Estas são características determinadas pela neurobiologia. Diferentemente dos homens, as mulheres têm interesses diversificados entre carreira, família e projetos pessoais. Temos prioridades mais flexíveis, estamos preocupadas com o bem-estar dos outros. E é neste ponto que quero chegar quando falamos da relação Mulheres e Poder.


A minha experiência como política e parlamentar muitas vezes me leva a questionar se estamos fadadas a repetir os mesmo padrões políticos tradicionais, legados pelo patriarcalismo e pelo pragmatismo masculino.


Vejo que a atividade política se reproduz por meio de um modelo histórico e sinto que as mulheres ainda estão tateando na penumbra sobre qual seria o modus operandi feminino de ação política. É preciso criar uma categoria diferenciadora que fuja aos padrões convencionalmente consolidados. Estou falando da superação do modelo tradicional de organização e significação da vida para promover uma maior participação das mulheres na cena pública.


Temos que fortalecer uma espécie de modelo feminino de fazer política. Digo isso porque as mulheres têm uma visão mais holística do mundo e devem aproveitar este potencial e a sua sensibilidade para ajudar a construir ações voltadas para a melhoria real da vida da população.


Infelizmente ainda observamos as brutais desigualdades no campo da participação política. Temos o sistema de cotas, que obriga os partidos a inscreverem, no mínimo, 30% de mulheres nas chapas proporcionais. Mas parece que o instrumento não tem sido eficaz para atrair lideranças femininas com real potencial eleitoral para as agremiações partidárias.


Basta observar a composição atual do Congresso Nacional. Temos 45 Deputadas Federais, correspondendo a 8,77% das cadeiras. E 10 senadoras, o que equivale a 12,34% do total. Ainda é muito pouco. Segundo a ONU, neste ritmo, só teremos uma equivalência entre homens e mulheres no Legislativo Federal daqui a 400 anos.


É preciso criar uma nova consciência do papel da mulher na sociedade e torná-la protagonista das grandes decisões em todos os níveis e áreas de atuação e conhecimento. Não queremos competir com os homens. Precisamos encontrar a receita da parceria e da cooperação entre os sexos, que certamente será benéfica ao País.

Em 2010 teremos pela primeira vez a possível presença de duas mulheres candidatas à presidência da República. É muito bom que isso aconteça; nada melhor para a democracia que o eleitorado tenha múltiplas opções.


Acredito que a escolha do próximo chefe da Nação deva se pautar em questões de gênero, raça ou nível social, mas sim em quem apresentar as melhores propostas para o futuro e tiver verdadeiro comprometimento com a solução dos grandes problemas nacionais.


Além disso, é importante levar em conta a história de vida, conhecimento do País, experiência administrativa, comprometimento político-partidário e credibilidade de cada candidato. É preciso votar em alguém que seja um verdadeiro líder e que, independentemente do sexo, tenha experiência para realizar ações efetivas em prol do povo brasileiro.


Reconheço, contudo, que as mulheres estão pouco a pouco construindo novos caminhos, demarcando espaços que serão fundamentais para a formulação de uma agenda de futuro. Por isso, queremos no poder alguém que possa desenvolver projetos que sejam adequados para a Nação neste momento histórico. Alguém que tenha experiência suficiente para manter a governabilidade, sem precisar de mensalões e de outras artimanhas baseadas na corrupção.


Lembro-me de Dona Ruth Cardoso, mulher engajada, autêntica, inteligente e respeitada por todos os partidos. Ela tinha luz própria e era uma crítica feroz das injustiças sociais. Tanto que criou um novo modelo para as políticas de inclusão brasileira, organizando as bases da rede social que hoje influi na nova maneira de pensar o Brasil.


Dona Ruth, neste aspecto, é o melhor exemplo de como a política pode se vestir de características próprias, ornada de sensibilidade, de senso de justiça e de preocupação ética no trato da coisa pública. O poder assim exercido pode assegurar extraordinários avanços para a sociedade.
Por :Marisa Serrano
Marisa Serrano é senadora pelo Mato Grosso do Sul e Vice-presidente Nacional do PSDB

sábado, 6 de março de 2010

Aems forma Gestor Educacional

Iniciado no dia 31 de agosto de 2.008, na Faculdades Integradas de Três Lagoas (AEMS), o Curso de Pós-Graduação em Gestão Educacional, chegou ao seu final no ultimo dia 6 de março.
O Curso aconteceu em uma perfeita parceria entre, Prefeitura Municipal e Direção da Faculdade, onde veio beneficiar mais de 50 Profissionais da Educação Concursados e lotados na Rede Básica de Ensino, no Municipio de Três Lagoas.
Após os 18 meses de estudos, o Curso somou 460 horas/aulas.
 Os novos Gestores Educacionais, comemoraram com uma mega festa de confraternização que contou com a presença de Professores e da Coordenadora Geral dos Cursos de Pós-Graduação, Profª Patricia.
A Coordenadora do Curso Professora Patricia, falando com a Professora Vânia Rodrigues, ao lado direito a simpática Profª Maria Laura, saboreando uma Coca Cola, e ao fundo Letícia.